UFGD tranca matrícula de 581 alunos que não tomaram a vacina na volta às aulas

DOURADOS AGORA/REDAçãO


UFGD adotou passaporte da vacina - Foto: Arquivo

A UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) trancou a matrícula de 581 alunos por não terem o esquema completo de vacinação contra a covid-19. Hoje é o retorno das aulas na institição.

A adoção do passaporte da vacina ocorreu no final de janeiro pelos membros do Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura (CEPEC/UFGD). Eles chegaram ao consenso de que docentes,  técnicos administrativos e estudantes que não estiverem imunizados contra a Covid-19 deverão ser proibidos de participar de atividades didático-pedagógicas presenciais na Universidade.

Antes de trancar as matrículas, a UFGD entrou em contato com os estudantes e os trabalhadores e aplicou um questionário sobre o esquema vacinal. Dos 7.269 acadêmicos matriculados, 493 não responderam e tiveram suas matrículas trancadas. Outros 88 tiveram a matrícula trancada por não estar com esquema vacinal completo ou por não ter tomado nenhuma vacina. Eles poderão enviar seus comprovantes de esquema vacinal completo até dia 23 deste mês, para regularizar a matrícula e iniciar as aulas ainda neste semestre.

Entre as pessoas que trabalham na universidade, considerando professores, técnicos-administrativos e estagiários, dos 1.242 colaboradores da universidade, a grande maioria, totalizando 979 pessoas, está imunizada.

Pouco mais de 11% não forneceu informações sobre a situação vacinal, 8,8% estão com esquema vacinal incompleto e 0,56% não tomou nenhuma dose da vacina. Com relação aos servidores sem imunização, a UFGD implementou o Trabalho Remoto Compulsório, no qual o servidor ficará em trabalho remoto com a obrigação de enviar relatórios diários sobre as atividades e cumprindo o cronograma de compromissos estabelecido pela chefia. Os servidores que não responderem diariamente ao relatório receberão falta e desconto na folha de pagamento.

Perdeu na justiça

Na semana passada o Dourados Agora noticiou que um Grupo de estudantes perdeu ação que tentava desobrigar o passaporte da vacina na UFGD. A decisão é do juiz Moisés Anderson Costa Rodrigues da Silva, da 1ª Vara Federal de Dourados. Ele negou o pedido de habeas corpus feito por 12 estudantes, entre eles acadêmicos de Medicina e alunos de doutorado.